128   

Pele: Pycnogenol também para Melasmas

 

Uma novidade pra quem quer melhorar a textura e coloração da pele: já ouviu falar do Pycnogenol?

Minha dermato já me receitava Pycnogenol desde ano passado, quando ele ainda entrava apenas na categoria de antioxidante, mas  já com ‘fama’ de muito potente.

Vários estudos depois, o Pycnogenol agora também faz parte da terapêutica do tratamento de melasmas! Olha que notícia boa, tratar e prevenir as manchas de dentro pra fora.

Pycnogenol
Um extrato de cortiça de pinheiro-marítimo francês, uma mistura composta de vários flavonóides específicos além de outras enzimas (catequina, epicatequina, taxifolina, monômeros, dímeros de catequina e epicatequina, procyanidnins oligoméricos e ácidos fenólicos de frutas, como o ácido ferúlico eo ácido caféico), com atividade antioxidante vinte vezes superior à da vitamina C e cinquenta vezes superior à da vitamina E. Estudo in vivo demonstrou um aumento de 40% do poder antioxidante no sangue após três semanas a suplementação diária.

Ele tem capacidade de se ligar às fibras de colágeno, potencializando sua regeneração. Inibe radicais livres produzidos pelo organismo e que naturalmente danificam as estruturas de colágeno). É capaz de reduzir os danos causados a pele por radicais induzidos pela luz solar, além de estimular sistema imunológico de uma maneira geral.

Pele e Pycnogenol
A suplementação oral com o Pycnogenol promove diversos benefícios para a pele, incluindo o aumento da produção de colágeno e da fotoproteção através da prevenção da inflamação da pele induzida pela radiação ultravioleta, além de favorecer o clareameno de hiperpigmentações. Além disso, é um potente antioxidante capaz de regenerar a forma oxidativa da vitamina C e proteger a vitamina E da oxidação, prolongando a atividade dessas vitaminas no organismo.

Em melasmas: Um estudo realizado em 30 mulheres de 29 a 59 anos com melasma demonstrou que a suplementação oral de 25 mg, em 3 vezes ao dia, por um mês, reduziu em 80% o tamanho e a intensidade da área de hiperpigmentação da pele, devido ao efeito de inibição da tirosinase, mostrando ser uma terapêutica muito eficaz e segura em mulheres com melasma.

Não é que o Pycnogenol, sozinho, via oral, vá resolver completamente o problema de alguém. Mas tem se mostrado um importante aliado no tratamento, que a gente sabe que é longo e bem difícil pra algumas pessoas (e que também inclui peelings químicos ou mesmo laser).

Só a possibilidade de reforçar a produçao de colágeno e reparar os danos causados pelos radicais livres, com o bônus de reforçar as defesas do organismo todo… poxa, já vale comemorar, né?

Pycnogenol pode ser manipulado ou comprado regularmente nas drogarias (com receita médica). Eu consumo o Flebon, que é do laboratório FQM (o mesmo da marca SVR, fabricante de vários dermocosméticos de que já falei aqui, como o Lysalpha Cicapeel e o protetor Lysalpha FPS 50+). Se não me engano, faz pouco mais de quinze dias, paguei, com aquele desconto regular da Drogaria São Paulo, R$32, a caixa com 30 comprimidos.

Bora consultar seu médico!

P.S.: Pycnogenol também é usado para melhorar a circulação dos membros inferiores. Algumas de vocês já podem tê-lo consumido com essa indicação.

mais infos:valeriacampos.com